Tuesday, December 27, 2011

Conhecendo a Península de Yucatán: Riviera Maya & Cancun

É ela que separa a região da América Central da América do Norte, assim como o Mar do Caribe do Golfo do México. A península consiste em partes das regiões norte de Belize e Guatemala e em três estados mexicanos: Campeche, Yucatán e Quintana Roo. A nossa jornada aconteceu nos dois últimos.

No estado de Yucatán, visitamos uma das sete novas maravilhas do mundo, a cidade arqueológica Maia, Chichen Itzá. Foi uma das maiores e mais influentes cidades Maias e com certeza um polo cultural arquitetônico. Hoje, é um dos locais mais visitados no México, recebendo 1.2 milhões de turistas por ano. Lá podemos apreciar a Pirâmide de Kukulkán, o templo mais grandioso da civilização Maia; a Praça das Mil Colunas; o Campo dos Jogos; o Observatório, que era dedicado a eventos astronômicos e o Cenote Sagrado, onde eles sacrificavam objetos e humanos ao deus da chuva, Chaac. Enquanto caminhamos pelo lugar, conferimos muitas barraquinhas de souvenir. E como são bonitas as lembranças do México! Variadas, ricas e coloridas. Voto aqui como o melhor lugar pra comprá-las, não apenas pelos bons preços e pelas barganhas já esperadas, mas também pela simpatia e graciosidade dos vendedores, descendentes Maias. O valor da entrada é $98 pesos mexicanos (em torno de R$14).


No estado de Quintana Roo conhecemos a famosa Cancun e alguns pontos da “Riviera Maya”. A “Riviera” foi criada como destino turístico para impulsionar a atividade na região. São 130km de litoral banhado pelo Mar do Caribe. Lá desfrutamos:

Playa Del Carmen: Terceira maior cidade do estado, sofreu um brusco crescimento populacional nas últimas décadas. Milhares de pessoas migraram para ali trabalharem no setor turístico.

Situada a menos de uma hora de Cancun, grande parte das atrações da região fica mais próxima a Playa, como a ilha de Cozumel e os parques ecológicos. Em Playa, encontram-se tanto hotéis mais simples e baratinhos como um complexo “a la Cancun” de hotéis e resorts de cadeias internacionais. A Quinta Avenida em Playa merece uma visita. Rua charmosa paralela a praia, cheia de lojas, barzinhos e restaurantes. Lembrou-me a Rua das Pedras em Búzios.

Xcaret: Parque ecológico localizado num porto e centro mercantil da era Maia. Desde sua fundação, foram desenvolvidos vários programas de reprodução e conservação da flora e da fauna mexicana. Lá é programa pra um dia inteiro pois a gama de atividades é enorme e para todas as idades: praia, rios subterrâneos, torre de onde se tem uma vista privilegiada da região, capela, cemitério típico, aquário, borboletário, animais para apreciar como tartarugas (de todos os tamanhos!), macacos, pumas, etc e o melhor show folclórico que já assisti que acontece todas as noites.

O show consiste em duas partes: a primeira recheada de música e dança e na segunda seguimos até uma arena onde assistimos partidas de esportes que os Maias jogavam. Tudo isso está incluido no valor da admissão ao parque, mas há também atividades que são pagas a parte como nado com golfinhos, com tubarões, mergulho, massagem, etc. Mais informações no site, onde pode-se comprar pacotes inclusive com outros parques.

Tulum: Tulum é uma palavra Maia para barreira ou parede, daí o nome deste outro sítio arqueológico que corresponde a uma antiga cidade muralhada Maia e que também servia de porto. É um lugar lindíssimo e são as únicas ruínas preservadas banhadas pelo azul do Mar do Caribe. Além de passear por estas ruínas e por uma vasta vegetação, ainda pode-se aproveitar a praia. A entrada custa $51 pesos mexicanos (em torno de R$7). Devido ao grande número de visitas turísticas, hoje Tulum também caracteriza um “pueblo” (pequena cidade) e uma zona hoteleira na região.

Cancun: Quando se chega a Cancun tudo já aumenta de proporção. Chegando a “Zona Hotelera” que se estende por 23km, encontramos de um lado as praias que fazem os olhos brilhar devido a cor da água do mar e a toda sofisticação dos hotéis e resorts que imperam a sua beira.

Do outro lado está a lagoa e uma variedade de bares, restaurants e lojas. Ao final encontramos também pequenos shoppings e outlets e não muito longe dali está o centro da cidade, região onde turistas já se misturam com os moradores locais. É uma cidade que foi construída num espaço geográfico super abençoado para explorar o turismo e que faz de fato jus a fama internacional que tem.

* Cenotes: E por ultimo, não poderia deixar de mencionar essas cavernas de desenvolvimento predominantemente vertical, onde há água subterrânea. Elas estão por toda parte na região. Paguei $100 pesos mexicanos (em torno de R$14) para mergulhar em três cenotes diferentes. A água é límpida e com uma máscara de mergulho então, você de fato aprecia toda a vida debaixo d’água!




Tuesday, June 28, 2011

Ah Barça... você é única!

Como filha de arquiteto, cresci ouvindo a respeito de Barcelona. A super bem sucedida revitalização da cidade e plano urbanístico devido as Olimpíadas de 1992 que todos usam de exemplo e as inusitadas obras de Gaudí são fatos que conhecia desde criança.

Mas ironicamente a primeira vez que visitei a Espanha em 2002 eu não fui a cidade catalã. E meu pai só foi explorar pessoalmente tudo que conhecia pelos livros no ano passado. Além de Barcelona, ele visitou outras cidades na Europa, mas voltou dizendo que nada é igual a Barcelona. E eu comigo, pensei: Claro, deve ser como um parque de diversões pra ele! Até que esse ano tive a oportunidade de voltar ao país espanhol e me certifiquei de não deixar a famosa Barça de fora.

Eu já havia estado na região de Madrid, na região da Andalucía e na região da Extremadura. Quando cheguei em Barcelona, região da Catalunha, de certa forma não me senti na Espanha. O forte espírito nacionalista é facilmente sentido e percebido. Todos os sinais de trânsito por exemplo estão em catalão e não espanhol. Além disso, me parece ser a cidade mais européia da Espanha. Super cosmopolita, nota-se gente de tudo quanto é lugar.

No entanto, a diversidade não está apenas nos diferentes rostos e idiomas que se escuta ao caminhar. Barcelona tem inúmeras atrações e para todos os gostos! Um pouco de antiguidade apreciada no bairro gótico e ruínas romanas. Muita arte e de tantos estilos... a cidade parece mais um museu a céu aberto com seus parques, edifícios, casas, ruas e igrejas sempre apresentando algum elemento artístico e decorativo. São eventos e muitas lojas a cada bairro que se visita. E a tudo isso que a faz digna de ser chamada uma grande metrópole, acrescenta-se o clima mediterrâneo com suas praias, áreas esportivas e feirinhas. E não posso deixar de mencionar o time de futebol Barcelona, o clube mais vencedor da última década, que agrega valor a cidade.

Como turista, adoro caminhar pelos lugares e me ver andando no meio das pessoas (visitantes como eu e moradores). Mas infelizmente meus dias em Barcelona foram super curtos e portanto experimentei pegar um daqueles ônibus turísticos. Havia muita coisa para ser vista e eu não conseguiria aproveitar tanto quanto se eu apenas usasse transporte público (ainda mais considerando o bairro – e montanha – Montjuic, onde muitas atrações se encontram). Portanto, sugiro fazer assim em caso de uma rápida passagem pela cidade. Por 20,70 você pode subir e descer quantas vezes quiser do ônibus e o tempo de espera no ponto não passa de 7 minutos. Além disso, há aquele audio guia que fornece informações de todos os pontos passados.

Apesar de ter sido a cidade mais cara que visitei na Espanha, o metrô surpreende e você pode comprar um passe de 10 viagens por apenas €7,95.

Abaixo deixo três links de ótimos sites informativos sobre a cidade. O primeiro, é do órgão oficial de turismo de Barcelona. O segundo, é do TripAdvisor, meu site de viagens preferido. E o terceiro, stay.com, onde você pode montar o teu próprio roteiro e depois baixa-lo em PDF.

E a conclusão? Meu pai estava certo... Barcelona é única! ;)

http://www.barcelonaturisme.com/English

http://www.tripadvisor.com.br/Tourism-g187497-Barcelona_Catalonia-Vacations.html

http://www.stay.com/barcelona/

Tuesday, June 7, 2011

Explorando Paris com Nat!

Ao invés de escrever os roteiros que fiz em Paris, decidi relatá-los em vídeo para compartilhar com a família, amigos e todos que venham a visitar o meu mundo aqui! Desculpem a qualidade do vídeo, foi feito com a máquina mais prática que eu tinha e também de improviso. Mas está todo filmado e editado na ordem.
O hotel onde nos hospedamos fica praticamente ao lado da estação de trem e de metrô Gare Du Nord. Pela proximidade começamos a curtir a cidade pelo bairro Montmartre. A partir daí, vocês visualmente acompanharão por onde foram a maioria dos nossos passos.
Há coisas, no entanto, que só estando lá pra sentir... o charme ao caminhar por ruas como a Boulevard Saint-Germain, o sabor dos doces e croissants, a brisa do Sena, o romantismo da tão famosa Cidade das Luzes... :)


video
48h de passeios transmitidos em 14 minutinhos de vídeo!

Link para assistir no YouTube: http://www.youtube.com/watch?v=vE1e5EhAbwg

Wednesday, May 25, 2011

Conhecendo Sintra, surpresa agradável em serra Portuguesa

Como os cariocas e turistas do Rio de Janeiro buscam em Petrópolis os prazeres da serra, assim acontece com Sintra, uma vila portuguesa na região de Lisboa cujo o ponto mais alto está a 528 metros de altitude.

A família real Portuguesa quando no Brasil impulsionou o surgimento e crescimento de Petrópolis e mais ainda a família Imperial quando Dom Pedro II seguiu os planos de seu pai e determinou a construção do palácio de verão da família. Na Europa, a história se remonta a muito mais séculos atrás e em Sintra o seu famoso castelo que já pertenceu a líderes muçulmanos e reis portugueses é datado do século VIII.

A cerca de 35km de distância de Lisboa, você pode chegar a Sintra de carro ou de trem. Logo na estação há mapas gratuitos e informações sobre as principais atracões. Também da própria estação saem ônibus que te levam pela cidade, inclusive a locais mais altos da serra onde se encontram palácios e o castelo. A Paisagem Cultural de Sintra foi elevada a Patrimônio Mundial da UNESCO e nada melhor para entender o porquê que ler as características apresentadas em sua candidatura: uma unidade cultural que tem permanecido intacta numa plêiade de palácios e parques; de casas senhoriais e respectivos hortos e bosques; de palacetes e chalets inseridos no meio de uma exuberante vegetação; de extensos troços amuralhados que coroam os mais altos cumes da Serra. Também de uma plêiade de conventos de meditação entre penhascos, bosques e fontes: de igrejas, capelas e ermidas, pólos seculares de fé e de arte; enfim, uma unidade cultural intacta numa plêiade de vestígios arqueológicos que apontam para ocupações várias vezes milenárias.

Se você tem tempo em sua viagem, vale a pena reservar um fim de semana para desfrutar deste município. Mas pelo menos em sua ida a Lisboa, reserve um dia para passar lá. Os preços um pouco mais aguçados que a capital Portuguesa são recompensados pelas delícias que oferecem.

Sintra é limitada a sul por Cascais e a oeste pelo Oceano Atlântico


Castelo dos Mouros. Iniciado durante a Invasão Muçulmana da Península Ibérica, foi disputado entre muçulmanos e reis portugueses

Palácio Nacional da Pena, uma das melhores expressões no mundo do romantismo arquitectónico do século XIX. Residência de verão do rei Fernando II

O tradicional doce Travesseiro da fábrica e café Periquita



Wednesday, April 6, 2011

Um tour por SEGOVIA!




Se você está morando ou passeando por Madrid, não pode deixar de separar um dia para visitar Segovia, cidade possivelmente remota a alguns anos a.C! A cidadezinha pertence a província de Castilla y León e possui cerca de 57 mil habitantes. Além da possibilidade de alugar um carro para ir até lá, os trens são os meios de transporte mais comuns para se chegar até Segovia. Há o trem de alta velocidade que leva cerca de 30 minutos desde Madrid e também o trem paradouro que leva 2h desde a estação Atocha, a principal estação da capital espanhola.Ao chegar na estação de Segovia, pode-se pegar um ônibus logo em frente que custa apenas alguns centavos e te deixa aos pés do famoso aqueduto de quase 2 mil anos (e detalhe: que ainda funciona)! Não se sabe datar precisamente a construçãodeste, mas as pesquisas variam entre o final do primeiro século e início do segundo. É a obra de engenharia civil romana mais importante na Espanha e junto com a cidade foram declarados Patrimônios da Humanidade.
Passando por esses arcos na Plaza del Azoguejo, há um centro de recepção aos visitantes onde você pode pegar mapas para te auxiliar na caminhada pela cidade. Descendo a rua Cervantes e a Juan Bravo você passará por monumentos e prédios históricos que hoje abrigam escolas e instituições governamentais. Vale uma pausa na
Plaza San Martin, que ainda conta com a Igreja de San Martin que possui aspectos moçárabes em sua construção. Esse tipo de arte se refere aos cristãos ibéricos que viveram em territórios conquistados pelos muçulmanos na invasão pelos árabes na Península Ibérica e guardaram alguns costumes deles mesmo sem se converterem ao Islã.
Um pouco adiante da Plaza San Martin você encontrará o Convento de Corpus Christi, que era a antiga sinagoga Mayor e logo cairá no bairro judeu, população que foi crescente em Segovia durante a Idade Média quando a industria de tecido explodiu. Seguindo as muralhas de Segovia, construídas quando Alfonso VI de Léon tomou a cidade dos árabes, além de uma
bela vista (dependendo da época que você for, dá pra ver a neve ainda não derretida nas montanhas ao fundo) pode-se ver também o cemitério judio.
Enfim, chega-se ao Alcazar de Segovia, o palácio real documentado pela primeira vez no ano de 1122. Foi a residência preferida de alguns reis e uma das inspirações para a o Castelo da Cinderela da Disney. Além da visitação interna, na qual você baba com a arquitetura, as artes e os ouros, também pode-se fazer uma visita a mais alta das torres. A visitação completa custa 6,50 €.
Na volta do Alcazar, pegue a rua Daoiz que te levará a Plaza Mayor. Lá além de se deliciar naqueles barzinhos europeus, você não pode deixar de entrar na Catedral da cidade, a mais bonita que eu ja fui até hoje. Ela foi a última catedral gótica construída na Espanha, possui 18 capelas e 3 portais. A visita custa 3 €.
Em apenas um dia você pode desfrutar desse patrimônio da humanidade que vive particularmente desse "turismo de um dia", mescla tantas culturas e vem investindo cada vez mais, lançando inclusive sua candidatura a capital européia da cultura em 2016. E por quê não? ;)